FESTIVAIS | Os destaques do Porto/Post/DOC

O Porto/Post/Doc é um festival de cinema que decorre na cidade do Porto entre 27 de Novembro e 3 de Dezembro. Pretende ser um ponto de encontro para os apreciadores de cinema e profissionais da área, promovendo a cultura cinematográfica. Com uma competição internacional e vários programas paralelos, terá como palcos o Teatro Rivoli, o Cinema Passos Manuel, a Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto e o espaço cultural Maus Hábitos. 

Este ano, grande parte da programação é dedicada ao Arquivo, promovendo a discussão sobre o uso de imagens de arquivo e a recuperação da memória do cinema. O foco recai em Jean Rouch, realizador francês dotado de uma visão extra-criativa sobre a não-ficção, bem como em Miroslav Janek. Este último é um cineasta checo autor de uma obra mais sensível, na qual analisa e investiga as vidas de comunidades menos priveligiadas. Um último destaque é feito à obra de Peter Mettler, que reflecte e discute temas fulcrais na existência contemporânea

Com uma apresentação destas, o festival prima pelo seu ecletismo, dando destaque aos documentários. Avizinham-se sete dias de bom cinema, e como tal, apresento-vos os principais destaques desta edição do Porto/Post/Doc.

7. The Beguiled (Sofia Coppola, 2017)
O festival é inaugurado com o mais recente filme de Sofia Coppola, The Beguiled. Centrado durante a Guerra Civil Americana, é num internato que acompanhamos cinco raparigas e as suas percetoras, que vivem numa espécie de microcosmos onde um acontecimento inesperado desafia a sua calma e equilíbrio. O drama conta com um elenco de luxo, com Nicole Kidman, Colin Farrell, Kirsten Dunst e Elle Fanning nos papéis principais. The Beguiled será exibido a 27 de Novembro, no Teatro Rivoli.



6. A Viagem do Tempo: Jornada da Vida (Terrence Malick, 2017)
O ecletismo do cinema de Terrence Malick chega ao Rivoli, com este destaque para o dia 28 de Novembro. A Viagem do Tempo: Jornada da Vida conta com narração da actriz Cate Blanchett, num filme previamente ensaiado em A Árvore da Vida (2011), que nos leva numa viagem metafísica que levanta uma vez mais as necessárias questões da relação entre o Homem e o Planeta Terra

5. City of Ghosts (Matthew Heineman, 2016)
Um documentário sobre a vida na cidade de Raqqa, Síria. Ocupada pelo Estado Islâmico, tornou-se uma cidade de fantasmas, em que qualquer oposição à ideologia deste grupo radical é fatal. Pessoas são apedrejadas, violentadas e decapitadas em praça pública. É aqui que um grupo de cidadãos transformados em jornalistas relatam o dia-a-dia da população, mostrando ao mundo ocidental como a violência e a guerra se tornam rotina. 

4. An Inconvenient Sequel: Truth To Power (Bonni Cohen/Jon Shenk, 2017)
Nesta sequela ao documentário Uma Verdade Inconveniente (2006), voltamos a ver Al Gore discursar sobre a mudança climática. Mais que isso, a fazer um apelo à acção, numa América dominada por Donald Trump, cuja política retira a América da luta contra o aquecimento global. O efeito gritante da Natureza sobre as nossas vidas, tempestades cada vez mais fortes, temperaturas irregulares e secas extremas, entre tantos outros fenómenos que causam o caos na vida diária é o mote deste documentário, em que podemos igualmente ver a revolução em curso e o quão insuficientes são as medidas tomadas neste campo. Há que levar a verdade ao poder, e depressa.



3. Makala (Emmanuel Gras, 2017)
Sem qualquer tipo de narração e com recurso exclusivo à imagem, em Makala acompanhamos o processo de produção do carvão em território congolês. Desde a extracção à venda, passando pelo transporte manual, acompanhamos o trabalho sacrifical de Kabwita, ao longo de hora e meia de uma lição de cinema directo.

2. Ejercícios de Memória (Paz Encina, 2016)
Sob uma máscara de calma e tranquilidade, acompanhamos as histórias dos filhos de Agustín Goiburú, um opositor político à ditadura de Alfredo Stroessner que, durante o seu regime de terrorismo no Paraguai, torturou, matou e fez desaparecer mais de 128 mil pessoas.



1. Lucky (John Carroll Lynch, 2017)
John Carroll Lynch lança-se na realização com este filme, uma viagem espiritual e de autoexploração em que a personagem principal consegue atingir o objectivo último: a iluminação. Será exibido no teatro Rivoli, no último dia do Porto/Post/Doc.



Além da programação do festival, existe ainda a secção Há Filmes na Baixa! que apresenta ao longo do ano diversos filmes na Baixa Portuense. Entre filmes, palestras, debates e animação nocturna, difícil vai ser perder o Porto/Post/Doc. 



4 comentários:

Ná Pelo Mundo disse...

Desconhecia esse festival mas uma vez que estarei pela cidade nessa altura, tentarei reservar um tempinho

Clippyou disse...


Parece ser um ótimo programa para visitar no Porto. Ainda a lista de programação também é bastante apelativa, por isso considero uma boa sugestão :)

Inês Retorta disse...

Aproveita para ver o do Al Gore ! Excelente visão sobre o estado do planeta :)

Inês Retorta disse...

É, fazem falta mais festivais destes pela zona norte !

Com tecnologia do Blogger.