REVIEW | The Edge of Seventeen (2016)

setembro 01, 2017
The Edge Of Seventeen está longe de ser o típico drama de adolescentes. Estamos perante uma das melhores dramedies dos últimos tempos, com um argumento arrojado e sempre no ponto. Além de uma boa banda sonora, Hailee Steinfeld entrega-nos a sua melhor performance até à data neste filme - e o restante elenco é um pequeno luxo. Um filme a ter em conta. 

Nadine (Hailee Steinfeld) é uma miúda normal, com os dramas normais da vida de qualquer rapariga com 17 anos. Hormonas, rapazes, a vida em casa e na escola - nem sempre é fácil gerir as emoções. Ao perder o pai, a vida de Nadine parece dar uma volta enorme. Pior ainda quando Krista (Haley Lu Richardson), a sua melhor amiga, se apaixona por Darian (o seu irmão mais velho). Claro que no meio de tudo, Nadine sente-se mais sozinha que nunca, e uma amizade inesperada acaba por ser o que lhe traz alguma esperança de que a vida não é tão má quanto parece. 

Com mais algumas pedras no caminho, a história de Nadine e dos seus 17 anos baseia-se num argumento fresco, e irreverente dentro do género, conseguindo conquistar os espectadores desde o primeiro momento. Outra coisa importante a referir aqui é sem dúvida a performance de Hailee Steinfeld. A jovem actriz brilha neste filme, fazendo da sua personagem credível em todos os aspectos e ofuscando todo o restante elenco (sim, incluindo Woody Harrelson). 

Mesmo havendo alguns pontos previsíveis na história (o que é quase impossível não existir num filme deste género), recomendo que não deixem de ver The Edge of Seventeen. Além de valer a pena pelo humor afiado, em algum momento das nossas vidas todos nós nos identificámos com Nadine. Um filme a ter em conta. 


2 comentários:

Patrícia Silva disse...

Vi este filme em Janeiro ou Fevereiro e adorei! O filme está mesmo fixe, encontrei-o por causa da Hailee e achei-a fantástica. Retrata muito o estado de espírito de uma adolescente que se sente sozinha e que "o mundo vai acabar"! kiss^^

Patsilvarte : blog | youtube
Giveaway Regresso às aulas

Clara Almeida disse...

Por acaso vi este filme no Netflix com a minha irmã e fiquei surpreendida. A Haile nunca desilude nas suas performances e este filme não foi exceção. Como disseste, há partes do filme previsiveis, mas isso é impossível de não haver porque é um filme puramente clichê. Mas eu adorei vê-lo! Ele mostra a realidade crua de uma adolescente normal... Gostei do post!

Xoxo,
Ciela Unlimited | https://cielaunlimitedblog.wordpress.com/

Com tecnologia do Blogger.